SEJA BEM VINDO SEMPRE!

Olá! Que a Paz de Cristo reine em teu coração! É um grande prazer receber você em minha página. Espero que edifique sua vida e que você indique este blog às outras pessoas! Abraço.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O SUICÍDIO DE PASTORES - Uma conversa franca sobre o assunto


Infelizmente, nos últimos dias temos sido surpreendidos com as notícias de pastores cometendo suicídio. Um fato triste, porém um alerta para nossas lideranças e pastores de todo o Brasil. É preciso dar um pouco mais de atenção às necessidades destes homens vocacionados que dedicam suas vidas ao altar do Senhor. Esse vídeo, foi gravado durante uma transmissão AO VIVO feita pelo Pr. Jesiel Freitas no seu perfil do FACEBOOK, tratando sobre o tema. Assista, indique e compartilhe:

  




Ministério Palavra no Altar

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

A DURA E CRUA VERDADE SOBRE QUEM VOLTA À VIDA DE PECADO APÓS CONHECER A CRISTO




"Deste modo sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: O cão voltou ao seu próprio vômito, e a porca lavada ao espojadouro de lama". 

(2 Pedro 2:22)


Não poucas pessoas vivem o infortúnio de voltarem à uma vida de pecado, após terem de fato se encontrado com Cristo e escapado da escravidão da iniquidade. Normalmente, encontram a mensagem do evangelho através de alguém que a anuncia, plantando a semente da salvação. Uma vez tendo a ouvido, renunciam ao mundo com suas depravações e resolvem viver para DEUS, entregando suas vidas ao Senhor Jesus. Não é que não tenha havido verdadeira entrega... claro que sim. Fosse assim, inúmeras pessoas não passariam anos e anos dentro das igrejas, praticando fielmente sua devoção e dando frutos no reino de Deus, antes de voltarem às suas práticas antigas, contrárias ao evangelho!


Milhares delas recebem dons espirituais (o que não ocorreria se não houvessem recebido o Espírito Santo, como consequência de suas conversões), os utilizam entre os irmãos e, de repente, num ponto qualquer do caminho, começam a distrair-se com o pecado, flertarem com as tentações e, por fim, cedem à fraqueza, descuidam-se e caem. Há milhares e milhares de narrativas sobre tropeços do tipo constantemente. É fato que tropeçar e cair, não necessariamente deve resultar em prostração, abandono da fé, desvio da verdade e afastamento da vida com DEUS. Todavia, grande parte delas cai e nunca mais se levanta ou recusa-se a reconciliar-se com Deus. Homens e mulheres, jovens ou não, fazem parte da lista daqueles sobre os quais o apóstolo Pedro escreveu claramente em sua segunda epístola, no capítulo 2 a partir do versículo 20:

"Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado".

E então, conclui-se com o versículo que inicia esse texto:

"Deste modo, sobreveio-lhes o que por um verdadeiro provérbio se diz: o cão voltou ao seu próprio vômito; a porca lavada, ao espojadouro de lama".

Não há nada mais repugnante, triste e feio de se ver, que um cão alimentando-se do próprio vômito. Também é fato tratar-se de um tremendo desperdício "a porca lavada voltar ao espojadouro de lama". O texto é impactante, radical, porém, fatídico! QUE DEUS nos livre de apostatarmos da fé... Mas, caso alguém ou qualquer de nós caia, é bom saber que a compaixão divina estará de braços abertos para todo e qualquer sinceramente arrependido!


Pr. Jesiel Freitas 
Ministério Palavra no Altar

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

PARTE PARA A ETERNIDADE O PASTOR ANTONIO MUNHOZ


Após mais de trinta anos atuando como presidente da Assembléia de Deus, Ministério do Belém no Campo de Americana, estado de São Paulo, partiu para a eternidade nessa terça-feira, aos 88 anos de idade, o Pastor Antonio Munhoz. Com uma história exemplar na plantação de igrejas, no empreendimento missionário e na formação de obreiros, Pr. Munhoz deixa um legado fantástico e uma multidão de corações tristes pela sua despedida temporária. Jubilado no último mês de janeiro, foi sucedido pelo seu filho, Pr. Cláudio Munhoz, que até então presidia o campo da AD Belém na cidade de Araraquara, estado de São Paulo. Com problemas de saúde desde o ano passado, Pr. Munhoz estava internado na última semana, na UTI do Hospital da Unimed em Americana, após participar do seu último culto de ceia do Senhor com a igreja há duas semanas. Seu velório está acontecendo no templo central da AD Belém de Americana, no Bairro Cordenunci, onde neste momento acontece o culto fúnebre e seu sepultamento ocorrerá por volta das 15 horas de hoje. Como obreiro, tive minha formação com o Pr. Antonio Munhoz, por quem fui indicado e ordenado ministro no Belenzinho em São Paulo, no ano de 1998. Desde então, servi por cerca de 16 anos consecutivos como pastor em suas igrejas o auxiliando também no trabalho missionário e em escolas teológicas do campo, como professor. Sempre foi da minha intimidade doméstica, do convívio familiar. Fizemos inúmeras viagens juntos e desfrutamos de comunhão e companheirismo durante todos esses anos. Meu coração se entristece pela separação, mas é confortado com a certeza de que nos reencontraremos em breve na glória eterna de CRISTO.

Acima, Formatura do Curso Superior de Teologia. Nas duas fotos abaixo, ministrando no Templo sede com o Pr. Munhoz.

Início do meu ministério em 1998 com o Pr. Antonio Munhoz em Itajobi, SP.



Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

quinta-feira, 6 de julho de 2017

A ÉTICA QUE SUFOCA A OUSADIA


"Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda ousadia a tua palavra". Atos 4:29


 um fenômeno extremamente negativo ocorrendo no meio evangélico, e precisa ser abordado com firmeza e seriedade. É o fenômeno da falsa ética na pregação do evangelho do Senhor Jesus Cristo, que tem camuflado a covardia com que muitos pregadores, pastores e igrejas vem exercendo o ministério da pregação. É triste, lamentável e profundamente reprovável do ponto de vista teológico. Pregadores e pastores não podem esquecer que tem a responsabilidade expressa na transmissão das verdades bíblicas e na comunicação das doutrinas divinas, por mais antipáticas ou anti-sociais que elas pareçam. Em nome da ética e da "educação", estão pregando apenas o que lhes convêm, ou o que agrada aos ouvintes, inclusive, sob a falácia de que o amor é mais poderoso que o juízo.

É bom lembrar, que não há amor onde não existe verdade ou onde ela exista apenas pela metade. Amar os pecadores, significa dizer-lhes que CRISTO salva e que, para isso, precisa perdoar-lhes os pecados, redimi-los deles e torná-los seus filhos. O processo para isto, por parte do pecador, é reconhecer seus pecados, arrepender-se deles, confessá-los e pedir o perdão de Deus, passando a viver para ELE. E não há como o pecador arrepender-se de seus pecados se primeiro, não saber o que é pecado, o que o separa de Deus e o que fazer para livrar-se deles. Daí porque, o evangelho precisa ser pregado na íntegra, genuína e ousadamente, sem desvios e sem omissões. Não é papel da igreja ser simpática com o mundo ou afagar suas práticas pecaminosas em nome do amor. Um pai que ama o filho, aponta-lhe os erros, ensina-lhe o que é certo e o que é errado e, quando este filho erra, abraça-o oferecendo-lhe perdão, mas mostrando-lhe a necessidade de abandonar a prática do erro. Não há como ser diferente.

Outro dia, ouvi que a igreja não pode nem deve ser radical na exposição ou na denúncia do pecado. E ouvi de alguém que, no mínimo, deveria pregar veementemente contra ele. Já disse alguém, que não devemos nos preocupar em ofender a consciência do pecador que não se preocupa em ofender a santidade de Deus. Igreja não é centro de terapia afagadora de infratores da lei divina; Igreja é agência de Deus na comunicação do evangelho de forma plena, clara, direta e, inclusive, se necessário, de forma agressiva. Silenciar diante do pecado não é um exercício de ética, mas prática de covardia diante da responsabilidade mais sublime da igreja de CRISTO! A igreja não pode esquecer que seu papel é ser LUZ DO MUNDO e SAL DA TERRA. Gosto do texto bíblico que transcrevi no início desse artigo: 

"Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda ousadia a tua palavra".

Talvez, você tenha o desejo de me perguntar o que dezenas de pessoas me perguntam por onde passo anunciando o evangelho: "Mas, pastor, o que devemos fazer diante das leis que estão tentando criar para prejudicar igrejas, pastores e pregadores?"... Bem, a resposta é simples: se você é um cristão genuíno, um verdadeiro pregador ou pastor, deve fazer o óbvio: desafiá-las, pregar a verdade a todo custo, a tempo e fora de tempo. Se algum dia você for processado, preso e condenado por pregar a verdade, glorifique a Deus! Era assim que faziam os crentes e pregadores da igreja primitiva; Enfrentavam seus opositores com OUSADIA e não se acovardavam em nome da ética. Quando as autoridades judaicas prenderam e questionaram o apóstolo Pedro e os demais apóstolos por anunciarem a verdade do evangelho, essa foi a resposta precisa, corajosa e digna da parte deles:

"Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens".

Nem preciso dizer que praticamente todos eles morreram martirizados por pregarem o evangelho. Prefiro ser como Estêvão, que sendo apedrejado pregou a verdade até seu último suspiro, que morrer como um covarde que teve vergonha do evangelho de CRISTO. E, o que dizer de Paulo, Pedro, Tiago, Mateus e todos os demais? Não aceitemos a ética que sufoca a ousadia!


Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar 


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A BANALIZAÇÃO DA FÉ - Um dos sinais da volta de CRISTO




Que a fé, a devoção e a prática religiosa vem sendo banalizada, não é segredo para ninguém. Faz tempo! No Brasil, o absurdo cresce a cada dia. Igrejas neo-pentecostais se prostituindo cada vez mais com a profanação do sagrado e a mercantilização do que deveria ser gratuito. Extraem o melhor das emoções das pessoas, brincam com a espiritualidade e desprezam os sentimentos daqueles que depositam toda sua crença em seus devaneios de avareza e ambição. Mas, sem dúvidas, os que se entregam voluntariamente à prática são culpados por sua própria busca desenfreada à uma porta de negociação e barganha com DEUS! Que o Senhor tenha misericórdia de nós! Aguardemos ansiosamente a bem-aventurada vinda de Nosso Senhor JESUS CRISTO... 

Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar
Related Posts with Thumbnails

Faça parte de nosso ministério!

Faça parte de nosso ministério!