SEJA BEM-VINDO! LEIA OS ARTIGOS E MATÉRIAS, SEJA EDIFICADO E COMENTE, SE DESEJAR.


quinta-feira, 4 de junho de 2020

QUE SAUDADE DO TEMPLO, DA IGREJA, DO POVO!



"Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava".

(Salmos 42:4)

SAUDADES DOS CULTOS PRESENCIAIS NO TEMPLO

○ Sentimento comum dos cristãos genuínos.

Alguns críticos infundados tem proferido duras críticas àqueles que estão entristecidos e reclamando a falta dos cultos presenciais. Um equívoco gigantesco taxá-los como "viciados em reuniões". As redes sociais tem sido campo aberto para dar voz há muita gente com pouca experiência cristã, ou de vida espiritual de péssima qualidade. Neófitos aos montes criticam os sentimentos daqueles que possuem longa experiência de prática cristã e jornada de fé. Alguns se veem como portadores de autoridade para tal, no entanto, sem de fato tê-la. É normal, compreensível e ordinário sentir essa saudade do templo, especialmente para aqueles que foram criados no convívio da igreja e outros, que mesmo tendo chegado depois, se apaixonaram e construíram uma história genuína de amor com ela, por meio de CRISTO! O ajuntamento para adoração de fato faz falta, e muita. Esse tempo de isolamento social tem mostrado isso. E mais: isso é muito bom e altamente positivo, funcionando como termômetro dos hábitos de devoção. É exatamente o que o salmista escreve acima! Veja a escalada textual e literária:

• Quando me lembro disto
• Derramo a minha alma
• Eu havia ido com a multidão
• Fui com eles à Casa de DEUS
• Com voz de alegria
• Com voz de louvor
• Com a multidão que festejava


Como eu, alguém mais se identifica?

Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

QUEM SÃO TEUS ACUSADORES?



"Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado" (Romanos 4.8).
Durante a trajetória cristã, especialmente se você exercer qualquer função que naturalmente te dê visibilidade no trabalho do reino, surgirão acusações e acusadores movidos por inveja, ciúme ou mera contrariedade. Infelizmente, faz parte do processo. Conheço e conheci muitos amigos que viveram situações do tipo, além de casos que nós pastores, tratamos ao longo de nossa jornada envolvendo as ovelhas, os liderados em geral.
Essa não é a pior parte. O lado mais terrível disso é feito daqueles que prontamente acreditam, sem qualquer discernimento, apuração, senso natural ou mesmo sem qualquer lógica. Sempre haverá os mais volúveis, instáveis, imaturos e levados como palha pelo vento! E, quando isso ocorre, mesmo que a verdade não demore para aparecer, visto que, na maioria das vezes a mentira não prevalece, grande parte das vítimas se desespera, perde o sono e até se desgasta tentando limpar a "sujeira" que outros promovem.
Digo sempre que nunca devemos nos preocupar com isso, especialmente a ponto de perdermos a paz! É DEUS quem nos justifica. Você não pode e nunca deve sentir-se culpado por males que nunca praticou! O bem mais precioso na relação entre o homem e DEUS é a sua consciência. Se você está consciente da sua correção, da sua honestidade ou da sua inocência, descanse no SENHOR! É ELE quem tratará com teus acusadores, quem te justificará diante dos homens e quem defenderá a sua honra. Não se indisponha, não se desgaste, não mova um músculo sequer da sua face e não porfie! Quem imputa pecado sobre os homens é DEUS. E, se ELE não imputar, a ninguém mais é dada essa autoridade ou esse direito. Aliás, ai daqueles que imputam pecados sobre aqueles que não os cometem! A DEUS prestarão contas de suas injustiças, sem demora!
Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

segunda-feira, 29 de abril de 2019

PORQUE SOU TEMPLO NÃO PRECISO IR AO TEMPLO?



Nos últimos anos tem surgido um modismo desses perigosos que surgem de tempos em tempos e que geram estragos incalculáveis no seio da igreja: um que diz que na Nova Aliança somos templos do Espírito Santo e agora, por causa disso, não precisamos frequentar os cultos nos templos. Segundo tal doutrina, a igreja não precisa de templo, e o prédio onde nos reunimos não pode ser chamado de templo. Então, é preciso esclarecer isto com propriedade. De fato, a Bíblia diz que agora somos templos do ESPÍRITO SANTO:

I Coríntios 3:16,17 - "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá, porque o templo de Deus, que sois vós, é santo".

I Coríntios 6:19 - "Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?"

É fato inquestionável que somos templos do ESPÍRITO SANTO. Todavia, em qualquer vernáculo, há palavras de duplo significado. No entanto, isso não anula a propriedade de templo dos prédios onde nos reunimos coletiva e biblicamente para adoração, como faziam nossos irmãos da igreja primitiva. Tampouco, isso dispensa a necessidade de nos reunirmos em assembleias para adoração. A diferença é que somos templos do ESPÍRITO SANTO e como tais abrigamos em nós mesmos o habitante ou morador ESPÍRITO SANTO. Já os templos de alvenaria, abrigam durante os cultos a DEUS, os adoradores que tem neles o ESPÍRITO SANTO. Uma coisa não anula a outra. Em todo o Novo Testamento a Bíblia revela reunião dos crentes para adorarem a DEUS, o que fortalece a fé, viabiliza o ensino coletivo da palavra, a pregação do evangelho para maior números de pessoas, a adoração conjunta e, especialmente, cultiva e fortalece a comunhão do corpo de CRISTO, da união para adoração. Então, vejamos apenas alguns textos que refutam já na Nova Aliança, a falsa doutrina que dispensa a necessidade de reunião no templo para cultuar ao SENHOR:

Atos 2:1- “Cumprindo-se o Dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar”.

Atos 2:46,47“E, perseverando unânimes todos os dias no TEMPLO e partido o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o SENHOR à igreja aqueles que se haviam de salvar” (grifo meu).

Atos 4:31“E tendo eles orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo e anunciavam com ousadia a palavra de Deus”.

Atos 5:42“E todos os dias, no TEMPLO e nas casas, não cessavam de ensinar e de anunciar a JESUS CRISTO” (grifo meu).

I Coríntios 14:16 - "Que fazer, pois, irmãos? Quando vos CONGREGAIS, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação".

Hebreus 10:25 - "Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que vai aproximando aquele dia".

A visão de alegria em cultuar, de aprender no templo, de acessar a presença do SENHOR na adoração coletiva e do prazer de estar no templo, que é chamado também de Casa de Deus ou de Casa de Oração, é a mesma do Antigo Testamento:

Mateus 21:13 - E JESUS "disse-lhes: Está escrito: 'A minha casa será chamada casa de oração'; vós, ao contrário, estais fazendo dela um 'covil de salteadores'.

Salmos 27:4“Uma coisa pedi ao SENHOR e a buscarei: que possa morar na Casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR e aprender no seu templo”.

Salmos 84:10“Porque vale mais um dia nos teus átrios do que, em outra parte, mil”.

Salmos 122:1“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do SENHOR”.

Conclui-se então que frequentar o templo continua sendo ato necessário, obrigatório, devocional e extremamente benéfico para manter a intimidade com DEUS e com o Corpo de Cristo.


Pr. Jesiel Freitas 
Ministério Palavra no Altar

quarta-feira, 17 de abril de 2019

PARE DE LOUVAR UM LOUVOR




• LOUVAR UM LOUVOR? •


Uma linguagem que se tornou quase normativa no meio pentecostal por parte daqueles que recebem oportunidade e desfrutam de espaço para cantarem hinos avulsos ou em grupos durante os cultos. A pessoa diz ao assumir o microfone: "eu vou louvar um louvor" ou "nós vamos louvar um louvor". Quando não, diz : "quero louvar um hino". Pois bem, vamos ao significado da palavra "LOUVOR ou LOUVAR"... São vários os significados no Dicionário Aurélio:

▪Ato ou efeito de louvar; celebração ou manifestação honrosa; homenagem, louvação; engrandecimento dos méritos; elogio; demonstração de gratidão; agradecimento.


Entenda o seguinte: louvar um louvor não existe. Você não louva um louvor. A não ser que você esteja elogiando o fato de alguém ter prestado louvor à outra pessoa. Você também não louva um hino... Nesse caso, talvez tenha que colocar a cópia do mesmo diante de si e enaltecê-lo, elogiá-lo, aplaudí-lo ou, quem sabe dizer: "querido hino, como você é lindo " ou ainda: "agradeço você, querida canção, por existir"!

Carinhosamente, devo reconhecer que quem o faz, o faz com simplicidade e impensadamente, até por copiar subconsciente ou conscientemente a outros que usam as referidas expressões. Não há pecado nisso, no entanto, é linguagem incorreta. Sempre há tempo para nos corrigirmos. Não se trata de uma repreensão ou texto condenatório, apenas de orientação para correção. Aprender é bom em todo o tempo. Então, o quanto antes, pare de dizer: "vou louvar um louvor"! Louve ao SENHOR, louve a DEUS, louve a JESUS, mas nunca louve um hino ou um louvor.

No mais, sigamos à orientação dos Salmos 100.2 : "Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos a ele com cântico" (Almeida Atualizada) ou, com mais clareza: "Rendei culto ao SENHOR com alegria, vinde à sua presença com cânticos de louvor" (King James Atualizada).

Pr. Jesiel Freitas 
Ministério Palavra no Altar

sexta-feira, 12 de abril de 2019

PREGADORES QUE NÃO QUERO OUVIR



NÃO ME CONVIDEM PARA OUVIR "PREGADORES" QUE:



▪ Não pregam a Bíblia ou não a conhecem intimamente. 
▪ Usam frases de efeito o tempo todo para tentar impressionar o povo.
▪ Distorcem o texto bíblico para produzirem mensagens a seu bel prazer.
▪ Leem o texto bíblico, fogem dele e começam entregar "profetadas" ou falsas revelações para toda a igreja, chamando pessoas por cor da roupa ou mesmo por nomes antecipadamente investigados.
▪ Estrangulam o texto para produzir mensagens metafóricas ou alegóricas sem qualquer fundamento de fato teológico ou tipológico bíblico. 
▪ Antes de pregarem começam a narrar suas viagens anteriores ou detalharem suas próximas agendas. 
▪ São apenas "profetas" e não pregadores ou MAIS profetas e MENOS pregadores.
▪ Impostam as vozes tentando impactar ou impressionar aos expectadores.
▪ Falam mais sobre suas histórias pessoais, vidas pregressas ou ascensões do que das histórias da Bíblia. 
▪ Lisonjeiam líderes ou aqueles que lhes convidam afim de conseguirem mais agendas.
▪ Gastam 40 minutos vendendo materiais como DVDs e livros, depois investem apenas 20 pregando.
▪ Vivem distribuindo cartões e suplicando por agendas. Quem abre a porta da palavra é DEUS. 

No mais, não me importa se são simples, cultos ou conhecidos. Se pregam a Bíblia e de fato são usados por DEUS, sem enfeites ou falsos efeitos, os ouvirei com imenso prazer!

Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

NEGLIGÊNCIA ESPIRITUAL E RELIGIOSA TRAZ MALDIÇÃO




"Desgraçado o que faz com negligência o trabalho do SENHOR!" (Jeremias 48: 10).

Palavra forte, impactante, séria e apavorante! Propositadamente, escolhi a versão King James... Na edição Revista e Corrigida diz assim: "Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR relaxadamente!".  A relapsidade ou a negligência se estabelece num ciclo inevitável, reflexo da personalidade que precisa ser constantemente moldada pelo Espírito Santo. Uma pessoa relaxada ou relapsa nos mínimos detalhes de sua vida, possivelmente também o será em todo o resto: se não cuida de seus objetos pessoais; se não tem zelo com o que é seu; se entrega suas coisas para uso de qualquer um; se não tem lugar certo para guardar suas coisas; se deixa tudo espalhado pela casa; se perde facilmente suas coisas; se não tem cuidado para usar uma tesoura; se não possui organização alguma; se é relapsa com a limpeza de sua casa ou de suas roupas e deixa tudo sempre bagunçado e sujo; se mexe no que é dos outros sem autorização; sem não sabe diferir o que é de uso particular e pessoal do que é de uso comum e etc; será relaxada também na vida espiritual. Não terá vida devocional regular, não lerá a Bíblia disciplinadamente e não poderá assumir qualquer função na Casa de DEUS, pois será igualmente relaxada em tudo o que lhe vier à mão para fazer. DEUS não tolera isto. Uma pessoa desorganizada, descuidada e irresponsável com as suas coisas e com as coisas dos outros não reflete o caráter de DEUS. O CRIADOR é organizado, zeloso e exigente desde toda a eternidade, portanto, seus filhos, aqueles que refletem o seu caráter, também o devem ser. Provavelmente, serão muitas vezes taxados de chatos, implicantes, exagerados ou "certinhos demais". Se te classificarem assim, não se incomode; você reflete o caráter de DEUS! Dedique-se à obra do SENHOR, seja zeloso, faça tudo com ordem e decência. Melhor te criticarem por ser cuidadoso, que te criticarem por ser descuidado. Melhor agradar a DEUS, que agradar aos homens. Seguindo o raciocínio do texto, decida não ser maldito, nem desgraçado! Essa é a visão bíblica.

Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

terça-feira, 18 de setembro de 2018

DIREITO BÍBLICO DE LEGÍTIMA DEFESA


Nós estamos às vésperas das eleições majoritárias no Brasil, e com isso, muitas polêmicas naturalmente tem vindo à tona. Uma delas, envolve a proposta de um dos candidatos à presidência da república, de facilitar a posse de arma para o cidadão de bem. Por causa dessa proposta, muitas pessoas se levantaram questionando a legitimidade da proposta e o direito que um cristão pode ou não ter, de possuir uma arma de fogo ou de agir em sua própria defesa.

Bem, vamos à Bíblia Sagrada, pois é ela nossa bússola, nossa fonte de inspiração e que contém todas as respostas para todos os questionamentos humanos. Começo deixando claro que, em lugar algum a Bíblia condena, reprova ou proíbe o Direito de Legítima Defesa. Então, vou lançar mão de um dos exemplos mais interessantes vindo do início da criação: A Bíblia diz que o primeiro assassinato da história foi o de Caim que matou o seu irmão Abel. Nessa época, não existiam armas de fogo e, possivelmente, nem facas como as que temos hoje. Poderia existir facas grosseiras, bem rústicas, feitas de pedras, mas não essas de hoje. Caim pode ter usado uma dessas ou mesmo uma pedra para matar seu irmão por ciúmes. Notem que a maldade não estava no instrumento que ele usou, mas no seu coração que tomou a iniciativa ou decisão de ceifar a vida do seu irmão.

Em nenhum momento no texto de Gênesis Capítulo 4 você encontrará DEUS eliminando as pedras do planeta ou condenando o uso de facas, mas o encontrará impetrando ação condenatória contra o assassino. Foi uma pena capital. Caim carregou as consequências pelo resto de sua vida.

Mas, para que não haja dúvidas, vou citar como referência um texto que narra as palavras do próprio Senhor Jesus, quando fala sobre a necessidade de vigilância para o Dia da sua volta. Está no Evangelho de Mateus, capítulo 24 e versículo 43, que diz: "Mas, considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite haveria de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa". Do que ele está falando: do direito de legítima defesa. O que JESUS está dizendo é que um pai de família responsável, jamais deixará de defender a sua família de ameaças de terceiros, de bandidos ou de homens ou pessoas mal intencionadas. Isto é DIREITO BÍBLICO DE LEGÍTIMA DEFESA.

Mesmo no Antigo Testamento, onde a lei era rígida e DEUS também falava claramente com o seu povo, note qual era a lei divina para quem matasse no direito de legítima defesa: Êxodo 22:2-3 nos diz: “Se um ladrão estiver roubando, e, sendo ferido, morrer, quem o feriu não será culpado de seu sangue”.

Quando o mesmo Senhor JESUS estava passando seus últimos momentos com os discípulos, e sabendo o que eles enfrentariam após a sua partida, incluindo os perigos em suas jornadas para espalharem a mensagem do evangelho, os orientou a fazer o seguinte: “...Mas agora, quem tem uma bolsa, tome-a, e faça o mesmo quem tiver uma espada; e quem não tiver uma espada, venda sua capa e compre uma” (Lc. 22:36). Devemos considerar o seguinte: a espada era a arma mais letal de uso pessoal ou individual que havia naquela época, portanto, correspondia a arma de fogo nos dias atuais.

Ainda falando sobre o cuidado que todos devemos ter com nossas famílias, ouçam o que disse o apóstolo Paulo à Timóteo no capítulo 5 e no versículo 8: "Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família negou a fé, e é pior do que o infiel". Ou seja, é dever do pai de família ou do tutor de uma família, cuidar da segurança de sua família. Claro que, o contexto imediato fala de PROVISÃO, mas em sentido indireto, também fala de PROTEÇÃO! Só não se pode confundir Direito Bíblico de Legítima Defesa com VINGANÇA. Isto é outra coisa! Direito de Legítima Defesa diz respeito a reação imediata, instantânea ou reflexa ao momento da prática ou da tentativa da prática de um crime ou de agressão grave por alguém e não à vingança premeditada. Defesa fala de defender a vida e evitar perdê-la, não de vingar a morte de outrem por quem já não há mais o que fazer. Esse tipo de punição diz respeito a justiça legal, aos meios legais ou aos tribunais devidamente estabelecidos, como você queira entender.

Veja o que diz em Romanos 13:4, “...a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Mas se fores mal, teme; pois não é em vão que vem a espada; pois é ministro de Deus, um vingador para castigar o que pratica o mal.”.

Então, a resposta para a pergunta: O CRISTÃO TEM O DIREITO BÍBLICO DE LEGÍTIMA DEFESA OU DO USO DE ARMAS EM LEGÍTIMA DEFESA?

RESPOSTA: SIM, O CRISTÃO TEM O DIREITO BÍBLICO GARANTIDO DE LEGÍTIMA DEFESA!

Pr. Jesiel Freitas 
Ministério Palavra no Altar

quinta-feira, 7 de junho de 2018

QUANTO A PROSPERIDADE FINANCEIRA


Cultura - É preciso compreender primeiramente o que difere cultura do quê é moralmente correto na prática de fé. Especialmente entre os povos orientais, prevalecia a cultura de que as riquezas materiais eram comprovação de vida abençoada por Deus ou de pleno sucesso. Todos os que lemos e compreendemos genuinamente a Bíblia, sabemos que isto não é verdade. Jó era um homem próspero, porém isso não era tudo em sua vida nem o mais importante. É possível ver duas coisas profundamente interessantes em sua vida: primeiro, o seu amor à DEUS acima de todas as coisas. Todo o relato de sua provação, seus diálogos com DEUS, com sua esposa e com seus amigos, deixam isso bem claro. A segunda coisa essencial é que Jó não tinha avareza. Tudo o que tinha recebia a mordomia correta: basta ler integralmente os textos para saber que ele ajudava os órfãos, as viúvas e qualquer necessitado que buscasse seu socorro.

A avareza é fator fundamental para definir a relação de alguém com DEUS e com o dinheiro. Na verdade, a relação errada com o dinheiro e com os bens materiais pode ser o caminho mais curto para o inferno, visto que a AVAREZA é pecado grave, não por classificação comum, mas por ser vício sórdido do qual as pessoas têm muita dificuldade em se libertarem.

Outrossim, a Bíblia e o próprio Senhor JESUS mostram o apego às coisas terrenas como desapego às coisas espirituais ou celestiais. ELE deixou claro que o apego ao dinheiro e às coisas materiais, a avidez pelas riquezas ou pelo enriquecimento são demonstrativos claros de onde o seu coração está. Vejam o texto de Mateus 6: 19-21:

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração" (grifo meu).

Então, na verdade, muito claramente, qualquer apego com as coisas materiais ou a chamada prosperidade financeira, não contribui com as coisas espirituais, tampouco é prova absoluta de bênção. Há muitos ímpios ricos e cruéis que nada tem de DEUS!

PORTANTO, a pregação da prosperidade financeira, tanto quanto às famigeradas campanhas nas igrejas para tal, são falsas, equivocadas e não harmonizam com o principal propósito de DEUS com os homens. Para concluir, sabemos que o amor ao dinheiro é um mal terrível, claramente condenado pela Bíblia:

I Timóteo 6: 6-10 - "Mas é grande ganho a piedade com contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores".

Conheço muitos crentes ricos ou estabilizados de vida financeira que são extremamente AVARENTOS, apegados às coisas financeiras. Vêem, muitas vezes, os irmãos necessitados, ou mesmo o pastor da igreja em dificuldade, ou a própria igreja, a assistência social, e não são capazes de ajudar. Normalmente dizem: "eu já entrego o meu dízimo".

Na verdade, grande parte dessas pessoas, quando entrega o dízimo não é por fidelidade, mas por tentativa de BARGANHA com DEUS. Dá com único objetivo de "prosperar" ou receber algo em troca. Digo, com segurança, que é um dinheiro sem valor, quando não, amaldiçoado.

A Bíblia ainda diz que os avarentos não serão salvos: "nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus" (I Coríntios 6: 10)

Portanto, um dos piores vícios do homem é a AVAREZA, o apego aos bens materiais e a ganância por dinheiro, excetuando-se àqueles que tem propósitos corretos, corações genuinamente libertos e mordomia cristã perfeita em DEUS!


Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar

segunda-feira, 2 de abril de 2018

CRISTO, O ÚNICO QUE DEVE SER ADORADO!


Por quê nós evangélicos não adoramos nenhum outro ser além de DEUS em sua trindade, Pai, Filho e Espírito Santo? Vamos às razões de fato bíblicas, pois a Bíblia, e nada mais, é nossa regra imutável de fé e prática (o texto é grande, mas vale a pena):


"E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4: 12).

Nenhum outro ser ou pessoa pode receber mérito, reconhecimento ou louvor pela nossa salvação, afinal, foi o Senhor Jesus Cristo, e só ELE, que deu a sua vida no calvário por cada um de nós. Exatamente por isso, o texto acima, de Atos dos Apóstolos, afirma que "em nenhum outro há salvação". Para frisar com clareza a declaração, o evangelista Lucas registra as seguintes palavras do apóstolo Pedro: "porque também debaixo do céu nenhum outro NOME há" (grifo meu), e completa, "pelo qual devamos ser salvos". Nenhum outro nome... nem o próprio Pedro, nem Paulo, nem João (íntimo de Jesus), nem Estêvão, nem Tiago nem tão pouco sua mãe, Maria. Vejamos o seguinte texto bíblico:

"Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem" (1 Timóteo 2: 5).

Claríssimo, elucidador e profundamente doutrinário! Só o SENHOR JESUS, ninguém mais. Nas palavras do próprio CRISTO, fica claro qual o caminho para o céu:

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14: 6).

São textos simples, cristalinos como a água limpa, só não os enxerga ou não os compreende os que decidem não fazê-lo. A Bíblia Sagrada também condena contundente e taxativamente a prática da idolatria; citarei apenas três referências bíblicas do Novo Testamento: "Por isso, meus amados irmãos, fujam da idolatria” (I Coríntios 10: 14); “O restante da humanidade que não morreu por essas pragas nem assim se arrependeu das obras das suas mãos; eles não pararam de adorar os demônios e os ídolos de ouro, prata, bronze, pedra e madeira, ídolos que não podem ver, nem ouvir, nem andar” (Apocalipse 9: 20); “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis” (Romanos 1: 22,23).

O que significa a palavra IDOLATRIA? Na língua portuguesa significa "ação de cultuar ídolos"; "culto que se faz aos ídolos"; "adoração a ídolo", ou seja, prestar reverência, honra religiosa ou espiritual, louvor aos ídolos do imaginário ou da religião. DEUS condena a idolatria e ponto. Então o paganismo, para justificar suas práticas, trocou a palavra IDOLATRIA por VENERAÇÃO, o que se resume exatamente na mesma coisa. Quando alguém presta culto por veneração, está prestando culto idolátrico. Simples, matemático, lógico e facilmente compreensível por qualquer mente inteligente. Se você se prostrar, se inclinar, se ajoelhar, prestar culto, dirigir orações ou reverenciar espiritualmente, então você está praticando a IDOLATRIA. Veja o texto de Êxodo 20. 3-6:


“Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, ne­nhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor,o teu Deus, sou Deus zelo­so, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus mandamentos”.

Não pregamos o desrespeito à qualquer pessoa: nem aos idólatras, muito menos aos personagens bíblicos que participaram da propagação do evangelho no mundo... nenhum dos apóstolos ou discípulos de JESUS, nem mesmo à sua mãe Maria. Afinal, temos admiração e amor por todos eles e por ela como seus irmãos em CRISTO, nada mais! E é bom deixar claro, que nenhum deles pode "velar" por nós, "olhar" por nós, ou interceder por nós. Estão mortos e aguardando a ressurreição do Dia de Cristo como todos os que morreram NELE! Tudo o mais é fantasia, idolatria, pecado e engodo diabólico. É Bíblia e nada mais. Tenho respeito por todos, todavia, não respeito e jamais respeitarei ou comungarei com a prática da idolatria. Se eu for conivente, serei tão transgressor quanto. Pecado é pecado é pronto. Não dividirei a minha adoração!

Para concluir, quanto aos que acham que os mortos podem interceder por nós, prevalece a clareza da Bíblia Sagrada:

"Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma" (Eclesiastes 9: 5).

"Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor" (Deuteronômio 18: 10-12).

Só permanece na ignorância quem quer. Tudo está na Palavra de Deus.


Pr. Jesiel Freitas
Ministério Palavra no Altar
Related Posts with Thumbnails

Faça parte de nosso ministério!

Faça parte de nosso ministério!