SEJA BEM VINDO SEMPRE!

Olá! Que a Paz de Cristo reine em teu coração! É um grande prazer receber você em minha página. Espero que edifique sua vida e que você indique este blog às outras pessoas! Abraço.

domingo, 16 de maio de 2010

CEIA DO SENHOR EM MIRASSOL TEM PR. JESIEL FREITAS COMO PRELETOR



Na noite deste sábado, dia 15, o culto de Ceia do Senhor da Igreja Assembléia de Deus, Ministério do Belém em Mirassol/SP, região de São José do Rio Preto, foi marcada com as manifestações do Espírito Santo. Edificada pela Palavra de Deus ministrada pelo Pr. Jesiel Freitas, a igreja adorou e glorificou ao Senhor. Também esteve participando do culto a cantora Rosilene Martins acompanhada de seu esposo (Palmas/TO), que cantou lindos louvores espirituais. A AD Belém em Mirassol, é presidida pelo Pr. Gustavo Arcangelo. O Pr. Jesiel Freitas ministrou a palavra com base no texto de I Coríntios 11: 20 e falou sobre o verdadeiro significado da Ceia do Senhor e a validação do ato, que só ocorre se forem observados os critérios bíblicos para a cerimônia. Abaixo você confere um vídeo com um trecho da mensagem ministrada pelo Pr. Jesiel Freitas:


No próximo dia 04 de junho o Pr. Jesiel Freitas estará novamente ministrando a Palavra de Deus na cidade de Mirassol, desta vez num evento promovido pela Igreja do Evangelho Quadrangular. Será uma grande Cruzada Evangelística realizada no centro da cidade. O evento será a III Noite Gospel "Uma explosão de milagres" e terá também como um dos preletores o Pr. Ozéias Lopes de Jales/SP, além de outros convidados.



Equipe Ministério Palavra no Altar

domingo, 9 de maio de 2010

APRENDA OUVIR CONSELHOS... Eles podem salvar sua vida!


“Onde não há conselhos os projetos saem vãos, mas com a multidão de conselheiros se confirmarão”. Provérbios 15: 22



“Não havendo sábia direção, o povo cai; mas na multidão de conselheiros há segurança”. Provérbios 11: 14



“Cada pensamento com conselho se confirma, e com conselhos prudentes faze a guerra”. Provérbios 20: 18


Eis um tema valioso a ser tratado com seriedade e atenção especial! Aprender a ouvir conselhos! O individualismo excessivo e o orgulho são inimigos declarados da audição de conselhos... Os portadores dessas duas características dificilmente são adeptos do aconselhamento e, por vezes, tomam decisões solitárias e renegadas que levam às conseqüências desastrosas e, não raramente, vexatórias! Há um velho adágio que diz: “se conselho fosse bom não seria dado, seria vendido”. Isto quer dizer o seguinte: muitos conselhos são dados às pessoas, porém não são levados em consideração, são literalmente desprezados ou considerados inadequados por quem os ouve. Nos textos bíblicos acima, aprendemos três coisas:

1) Projetos somente serão seguramente estabelecidos, através de conselhos sábios.

2) Governa-se com segurança, quando se busca conselhos.

3) Pensamentos não passam de pensamentos, se não forem apoiados em prudentes conselhos capazes de fortalecer-nos em grandes batalhas.

Infelizmente tenho lidado com inúmeras pessoas assim ao longo do meu ministério. São pessoas em todos os níveis; membros comuns de igreja, líderes de departamentos, obreiros, pastores, amigos comuns e outras pessoas que buscam conselhos nos momentos de dificuldade, porém só estão dispostas a ouvi-los e colocá-los em prática se vier de encontro às suas intenções previamente estabelecidas. Digo sempre que em meio às adversidades e circunstâncias difíceis em geral, os envolvidos perdem muito da sua capacidade de visão real das coisas, e, naturalmente, os que estão fora do problema tem uma visão mais panorâmica e por isto, são capazes de enxergar melhor a situação. Quando iniciei no ministério pastoral, o fiz acreditando que os jovens teriam sempre maior resistência ao aconselhamento, mas com o passar dos anos fui percebendo o quanto os adultos, que deveriam ser mais “maduros” nos vários aspectos do seu comportamento, são particularmente difíceis de receber e aceitar conselhos! Isto acontece em todas às áreas: ministerial, familiar, social, profissional, religiosa, etc. Muitos filhos tem tido dissabores e tristezas por não ouvirem conselhos dos pais, esposas e esposos por nao ouvirem conselhos dos cônjuges, ovelhas por não ouvirem conselhos de seus pastores, funcionários por não ouvirem conselhos dos patrões, etc.

Não poucas vezes tenho sentido tristeza com pessoas assim. Todavia isto tem me ensinado à medida que acumulo novas experiências com pessoas, a construir um muro de proteção à minha volta, de tal forma a não me deixar mais ser afetado com esta rebeldia e resistência deliberada do ser humano. Comprova-se a cada situação semelhante que perde exatamente aquele que não está disposto a ouvir e praticar aquilo que recebeu de orientação. É incrível como o ser humano se perde em seus devaneios e fantasias a respeito de conseqüências irreais de escolhas erradas e caminhos equivocados que decide seguir. A Bíblia, por sua vez, nos aconselha a ouvirmos conselhos, pois neles encontraremos segurança para as nossas decisões! A confirmação dos bons projetos dá-se através de bons conselhos. É óbvio que devemos saber a quem ouvir e onde buscar conselhos, pois assim como existem os bons conselhos, existem também os maus conselhos. Assim como existem os bons conselheiros, existem também os maus conselheiros. Observando o caráter das pessoas, sua forma de viver, seu procedimento no convívio com a família, com a igreja, com a sociedade e sua relação com a vida espiritual e com Deus e sua história, é possível decidir onde buscar os melhores conselhos. Veja esta outra orientação bíblica presente no Salmo 1: 1: “Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios”. Também é válido atentar para o que o Espírito Santo deixou registrado através da pena do sábio Salomão: “Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a minha mão, e não houve quem desse atenção; Antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quiseste a minha repreensão; Também eu me rirei na vossa perdição, e zombarei, vindo o vosso temor” (Provérbios 1: 24-26). O conselho é tão importante que um dos nomes do messias prometido de Israel, mais tarde o Senhor Jesus, é CONSELHEIRO, conforme registrado em Isaías 9: 6.

No entanto, e sobre tudo, quem busca conselhos deve ir até o conselheiro, desarmado e desprovido de qualquer preconceito, ou seja, desnudo de conceitos pré-estabelecidos, porque somente assim será capaz de ouvir com atenção e avaliar riscos e vantagens advindos da prática que segue a orientação dos conselhos! Como ministro do evangelho e conselheiro que pela graça de Deus tenho sido ao longo desses anos recomendo: aprenda a buscar conselhos, aprenda a ouvir conselhos, aprenda a praticar toda recomendação recebida de bons conselheiros e estará caminhando de braços dados com a felicidade e o sucesso até nas mínimas decisões da vida! Lembre-se: “...na multidão de conselheiros, há segurança”. A rebeldia e a resistência deliberada aos conselhos normalmente trazem conseqüências trágicas, desastrosas e cujas marcas se estabelecem pelo resto da vida. Pior: deixará um profundo remorso e um pesado sentimento de culpa por ter sido orientado corretamente, mas haver desprezado àquilo que poderia ser a solução para uma vida realmente feliz!


Pr. Jesiel Freitas

sábado, 8 de maio de 2010

CPAD LANÇA MAIOR PORTAL EVANGÉLICO DE NOTÍCIAS DO PAÍS



Lideranças eclesiásticas e representantes das mídias secular e evangélica estiveram reunidas nesta sexta-feira (07), no Hotel Holiday Inn, em São Paulo, para o lançamento do Portal de Notícias da Casa Publicadora das Assembleias de Deus, o CPAD News.

Cerca de 100 pessoas foram convidadas para o café da manhã de lançamento e apresentação do portal. Após a apresentação oficial feita pelos integrantes do projeto, foi aberto espaço para a Coletiva de Imprensa sobre o novo canal de informação da maior editora evangélica da América Latina. Computadores com internet também foram instalados no local para a "degustação" do portal.

Participam da entrevista o presidente do Conselho Administrativo da CPAD, pastor José Wellington Costa Junior; o diretor-executivo da CPAD, Ronaldo Rodrigues de Souza; o chefe de Jornalismo da CPAD e editor-chefe do CPAD News, Silas Daniel; o gerente da Setor de Comunicação da CPAD, Rafael Paixão; e o chefe do Setor de Web da Casa, Newton Cezar.

Pastor José Wellington Costa Junior o principal objetivo da Casa Publicadoras das Assembleias de Deus que é o de informar e abastecer as igrejas, atendendo as exigências do leitor em geral. “A CPAD não perdeu seu principal foco que é informar. E com o CPAD News está ampliando o seu órgão de informação não somente ao público evangélico, mas ao público em geral. É um momento muito especial, assim como todos os outros feitos da história da editora.”.

De acordo com o diretor-executivo da Casa, Ronaldo Rodrigues de Souza, o CPAD News tem a responsabilidade de informar a igreja. “A CPAD é uma editora que representa a igreja. Sendo assim, ela amplia a sua visão trazendo notícias de todo o mundo sob uma ótica bíblica. Queremos, num primeiro momento, atender a essa demanda que a CPAD criou: a editora tem influência no meio evangélico. No momento, ela deve funcionar como porta-voz desse público interessado em uma notícia que tenha uma abordagem profissional, mas também uma abordagem bíblica e bastante lúcida, que traga esclarecimento para uma igreja que recebe todo o tipo de informação”, destaca Ronaldo Rodrigues.

Segundo o diretor da Casa, “o objetivo como Igreja é que o Portal seja um farol, não somente para os crentes, mas uma referência cristã de mídia de informação para aqueles que são descrentes".

Associado às principais agências de notícias do mundo como a France Press e a Agência Estado, o objetivo do portal é informativo. “Em síntese, o portal terá as principais notícias do Brasil e do mundo numa perspectiva cristã”, define Silas Daniel, editor-chefe do CPAD News e um dos colunistas do portal.

O gerente de Comunicação da CPAD, Rafael Paixão, um dos integrantes do projeto, destaca que “este lançamento é um marco na história da CPAD, de tal importância que ultrapassa as barreiras da denominação”.

Utilizando os mesmos recursos dos maiores portais de notícias do Brasil, o CPAD News atende ao principal quesito da informação na internet: tempo real. Notícias do universo cristão no Brasil e no mundo, ampla cobertura de notícias de interesse geral atualizadas a todo o momento, conteúdos exclusivos e interatividade através de inúmeros recursos tecnológicos estão à disposição dos usuários em http://www.cpadnews.com.br/. Com a iniciativa, a editora passa a incrementar a sua presença em todas as mídias de nosso tempo.

Fonte: http://www.cpadnews.com.br/ (Texto extraído na íntegra)

Equipe Ministério Palavra no Altar

terça-feira, 4 de maio de 2010

PR. JESIEL FREITAS MINISTRA NA AD BELÉM EM CAMPINAS - 192 novos convertidos são batizados nas águas


Na tarde do último domingo, 02 de maio, aconteceu mais um batismo em águas na Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Ministério do Belém, em Campinas. A Igreja é presidida pelo Pr. Paulo Freire da Costa. Nesse batismo, 192 pessoas desceram às águas, a maioria jovens. Além dos candidatos da igreja sede, foram trazidos para o batismo candidatos de todos os setores da cidade. Familiares e amigos compareceram para acompanhar o batismo e fazer fotos com os batizandos. O Pr. Jesiel Freitas foi convidado para ministrar a Palavra de Deus, e na ocasião falou sobre o significado do batismo e seus objetivos na vida do cristão. Foi um culto avivado, às 14 horas, plena tarde de domingo. Uma multidão encheu o templo e posteriormente o pátio exterior onde ocorreu a cerimônia. No vídeo abaixo, você acompanha a matéria completa com o Pr. Juarez Lima, Assessor de Comunicação da AD Campinas, que entrevista entre outros, o Pr. Paulo Freire:


O Pr. Jesiel Freitas ainda foi convidado pelo Pr. Paulo Freire, seu amigo pessoal, para ministrar a Palavra de Deus no culto evangelístico da noite. Pregou novamente para uma igreja repleta num culto caloroso, com a participação dos vários departamentos musicais da igreja, pastores presidentes visitantes de outras cidades do interior de São Paulo e pessoas não evangélicas. Houve decisões para Cristo e um grande derramamento do Espírito Santo após as reações de quebrantamento, com a mensagem baseada no Salmo 37: 5. E Equipe do Ministério Palavra no Altar registra os agradecimentos pela recepção dedicada e hospitaleira do povo e da igreja de Campinas.

Equipe Ministério Palavra no Altar

sábado, 1 de maio de 2010

GRAVETOLATRIA OU GRAVETOMANIA?


 

Antes de começar a escrever sobre isto, preciso dar uma definição pessoal de ambos os termos que intitulam este artigo. Evidentemente eles não existem na língua portuguesa, nem, que eu saiba, em outra língua qualquer... Tudo que sei é que isto veio à minha mente após algumas reflexões sobre algumas ocorrências relatadas por pessoas que tem como hábito freqüentar montes e lugares abertos para oração! As definições não são científicas ou teológicas, mas práticas, ou seja, numa linguagem coloquial:

GRAVETOLATRIA – Amor exagerado aos gravetos (neste caso, acesos ou incandescentes); apego à, ou veneração de.

GRAVETOMANIA – Mania de gravetos (neste caso, acesos ou incandescentes); mania de procurar por tais objetos em circunstâncias especiais, com reações especiais.

Particularmente, tenho muito prazer em orar em lugares diferentes e onde haja muita liberdade física. Gosto de participar de vigílias em chácaras, sítios, fazendas ou lugares abertos e ermos. Acho que há maior tranqüilidade e, consequentemente, maior possibilidade de concentração no ato de orar. Conta ainda, o fato de não incomodar vizinhos, visto que muitas igrejas estão localizadas em bairros residenciais e ladeadas por pessoas, que nem sempre professam a nossa fé, irritando-se com os barulhos gerados pelos cultos, principalmente quando estas são de confissão pentecostal.
Temos como grande exemplo disto o próprio Senhor Jesus que regularmente afastava-se dos grandes centros, dos lugares movimentados e da zona urbana, para ficar a sós com o Pai em oração.

Várias passagens bíblicas mostram-nos isto ocorrendo, inclusive com o mestre querendo afastar-se dos seus próprios discípulos para orar sozinho, mesmo que em várias outras circunstâncias costumasse orar juntamente com eles, como por exemplo, na noite de sua prisão e posterior julgamento (Mateus 26: 36-41). Você pode ainda conferir estes textos: Mateus 14: 23; Marcos 6: 46; Lucas 9: 29. Ainda há outras onde os apóstolos procederam da mesma forma. Portanto, retirar-se para orar, seja num monte ou mesmo numa planície, não é errado. Pelo contrário, pode ser bem melhor que orar num lugar onde teremos dificuldade de concentração e privacidade. O que ocorre, no entanto, é que, infelizmente, o hábito tem criado algumas distorções e interpretações equivocadas quanto ao propósito, ao método e aos efeitos deste tipo de prática de oração. Há os que acreditam que orar nos montes ou campos, torna a oração mais poderosa que dentro da igreja ou em seu próprio quarto, como também ensinou o Senhor Jesus: “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto; e teu Pai, que vê secretamente, te recompensará”. (Mateus 6: 6); outros acreditam que as manifestações de Deus tornar-se-ão mais evidentes em locais afastados e outros que Deus se agradará mais disto além de ouvir mais rapidamente, já que não há nenhuma barreira entre o céu e eles. No segundo grupo, estão aqueles que valorizam demasiadamente as manifestações físicas da oração. São estes que andam preocupados com um “fenômeno” muitas vezes relatado como sendo a manifestação da glória de Deus: o aparecimento de gravetos incandescentes.

Por diversas vezes ouvi de pessoas que participam deste tipo de oração, geralmente em grupo: “Ahhh, pastor, é tão grande o poder de Deus nestes lugares, que a gente vê gravetos acesos... Os gravetos pegam fogo mesmo! Se isto não é poder e glória de Deus, então o que é??!” Algumas destas pessoas (senão a maioria), tornam-se tão obcecadas pelos tais gravetos, que a reunião de oração onde isto não acontece não é considerada uma boa e abençoada reunião de oração. Conheço vários irmãos que freqüentam estes lugares unicamente interessados em presenciarem este tipo de “manifestação”. O pior, é que isto tem gerado polêmicas, entraves e discussões acaloradas sobre a autenticidade e legitimidade dos tais “gravetos acesos”! Já vi irmãos se aborrecerem uns com os outros a ponto de se tornarem inimigos dentro de uma mesma igreja em função do tema. Pessoalmente devo dizer que nunca vi tais manifestações, e, sinceramente, sem qualquer hipocrisia, não tenho nem um pouco de curiosidade ou desejo de ver, até porque isto nada acrescentaria à minha fé ou a minha crença no Todo-Poderoso. Para mim com graveto ou sem graveto, com milagre ou sem milagre... Deus continua sendo Deus! Não vejo (e digo isto com toda sinceridade) em que isto pode edificar as pessoas ou lhes trazer benefícios espirituais.

É verdade que vemos manifestações maravilhosas de Deus em toda a Bíblia Sagrada, mas também é verdade que temos poucos relatos de fatos semelhantes. Mesmo assim, em todas as situações havia propósitos específicos e grandiosos, para momentos especiais nas vidas dos profetas, sacerdotes e mesmo da nação de Israel ou da igreja. Para não tornar-me demasiadamente extenso e cansativo à leitura, citarei rapidamente alguns casos assim: No Antigo Testamento encontramos o caso de Moisés quando apascentava as ovelhas de seu sogro Jetro. Deus queria falar com ele de forma a motivá-lo para uma gigantesca obra de fé, ao pedir que tirasse o povo de Israel, do Egito. Então o Senhor aparece numa sarça ardente, um pequeno arbusto que queimava, mas não se consumia. Não me aterei às várias e possíveis explicações científicas para isto, porque creio genuinamente no que diz a Bíblia a respeito. Encontramos também a ocasião em que Moisés passara quarenta dias e quarenta noites no monte Horebe, e, quando desceu, seu rosto resplandecia a ponto de ter que cobri-lo com um véu para apresentar-se ao povo (aquí o povo precisava ver e crer que Moisés encontrara-se realmente com Deus). Outra vez encontramos Deus manifestando-se através do fogo quando Salomão inaugura o grande templo que havia construído para o Senhor em Jerusalém (o fogo era sinal de aprovação de uma casa para a qual todos deveriam dirigir-se para adorá-lo), e ainda podemos citar o caso do profeta Elias quando clamou e o Senhor consumiu com fogo o holocausto diante dos assustados profetas de Baal (o profeta mostrava que o responsável pela chuva e pela fertilidade da terra era o Deus de Israel e não Baal). No Novo Testamento, onde estas manifestações pouco aparecem, lembro o caso do Dia de Pentecostes quando foram vistas pelos poucos (em torno de 120) membros da recém fundada igreja neotestamentária, “línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles” (Atos 2: 3). Neste caso, era preciso confirmar a profecia de Joel, para a plena fundamentação da igreja como participante da era da graça com todos os dons espirituais à disposição! Temos antes disto, o episódio da transfiguração onde as vestes do Senhor Jesus resplandeceram enquanto orava com seus discípulos. Após estes casos, praticamente não encontramos relatos semelhantes na Bíblia. Não há nenhuma narrativa, nem sequer nos casos citados acima, de gravetos acesos ou incandescentes em orações particulares ou de grupos nas escrituras.

Concluímos, portanto, que não há nada de edificante ou benéfico para nós com os tais gravetos que se acendem. Quero, contudo, ressaltar que acredito sim que Deus possa fazer gravetos acenderem, aliás, creio que um dia Deus fará o planeta ser incendiado a ponto de ser transformado numa nova terra. Creio que Deus seja criativo a ponto de fazer coisas que não se limitam à Bíblia, mas jamais confundirão ou serão sem propósito! Todavia, não encontro respaldo bíblico algum para esta doutrina ou modismo, nem vejo qualquer milagre ocorrendo por conta disto. O que vejo são crentes tornando-se meninos na fé e extremamente arrogantes por acreditarem serem melhores que os outros ao verem este tipo de “manifestação”, com exceção, claro, de alguns. É bom lembrar: para toda regra, há exceção! Então aconselho: esteja atento para não tornar-se um “gravetólatra”, ou um “graveto maníaco”, procurando freqüentar reuniões de oração mais interessado nessas visões mirabolantes (embora - raramente - possam ser reais), que realmente em orar buscando comunhão com Criador, intercessão pelos santos, familiares, amigos e almas carentes de Cristo! Vale a recomendação ao apóstolo Paulo:

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino” (I Coríntios 13: 11)


Vivamos a fé verdadeira naquele que tudo pode, porém sem direcionar esta fé em propósitos irracionais, emocionais ou fantasiosos, por mais reais que sejam as manifestações! Glória ao Deus, que é um fogo consumidor!


Pr. Jesiel Freitas
Related Posts with Thumbnails

Faça parte de nosso ministério!

Faça parte de nosso ministério!